Liderança Organizacional e Principais Teorias: Saiba mais AGORA

Liderança Organizacional e Principais Teorias

Lideranca organizacional

Liderança é um fenômeno de natureza social, existente nas mais diferentes situações. A liderança organizacional consiste na capacidade de influenciar, persuadir e motivar os indivíduos a executarem uma determinada tarefa por meio de um processo de comunicação.

O líder corresponde ao indivíduo percebido como possuidor dos meios para a satisfação das necessidades de um grupo.

A influência está alinhada ao conceito de poder e de autoridade.”

Clique para Twitar

A influência está alinhada ao conceito de poder e de autoridade. Autoridade é o fenômeno por meio do qual as pessoas aceitam as ordens dos superiores. Poder é a capacidade de exercer influência.

A liderança organizacional é realizada por meio de um  processo de comunicação humana capaz de induzir as pessoas a cumprir as obrigações estipuladas, conduzindo-as em direção a suas metas.

A seguir serão analisadas as principias teorias que explicam a origem da liderança e a liderança organizacional.

Teoria dos Traços

A teoria dos traços orienta que a liderança é dada por características inatas do indivíduo. A doutrina cita três grandes tipos de traços que influenciam a liderança:

  • Características Físicas: peso, altura, tom de voz, etc.
  • Habilidades: inteligência, nível de escolaridade, etc.
  • Personalidades: autoconfiança, controle emocional, extroversão, timidez, etc.

Algumas características inatas do indivíduo de fato, influenciam na liderança. Como por exemplo, um indivíduo com voz alta terá uma probabilidade maior de liderar um grupo do que um indivíduo com voz baixa.

No entanto, isso não é uma regra. Não podemos esquecer que Mahatma Gandhi, grande líder pacifista da Índia, é citado como contra-exemplo da teoria dos traços.

Teorias Comportamentais de Liderança Organizacional

Teoria dos Estilos de Liderança

As teorias mais utilizadas para o entendimento da liderança são aquelas que relacionam os estilos de liderança com determinadas situações de trabalho. De acordo com essa teoria, são estilos básicos de liderança organizacional:

  • Autocrática;
  • Liberal;
  • Democrática.

Liderança autocrática é aquela em que as decisões são tomadas apenas pelo líder, sem a participação da equipe. O líder decide sozinho quais são as metas e objetivos e quais as maneiras de alcançá-los.

Liderança liberal é aquela que não conta com a participação do líder e a equipe tem total autonomia para decidir quais são os objetivos e as metas e como eles serão alcançados. Esse tipo de liderança organizacional apresenta um individualismo agressivo e há pouco respeito ao líder.

Liderança democrática ou participativa, é aquela em que o líder estimula na equipe os comportamentos desejados. A equipe possui certa autonomia e participa da tomada de decisão, se sentindo mais motivada para alcançar as metas e objetivos organizacionais.

Na prática, as organizações adotam o estilo de liderança de acordo com a situação, com as pessoas e com a tarefa a ser executada.

Exemplo: em situações de guerra é melhor que a liderança seja autocrática; em equipes maduras e bem estruturadas a liderança democrática é a mais adequada.

Lideranca organizacional

Teoria do Grid Gerencial

A teoria do grid gerencial é uma teoria baseada em 5 (cinco) estilos de líderes.

É uma teoria que apresenta fatores dominantes no pensamento de um líder a respeito de como obter resultados, levando-se em conta a preocupação com as pessoas e com a produção de resultados.

  • Estilo 1.1 – Liderança Empobrecida: há pouco esforço do líder e quase uma ausência de liderança. Mínima preocupação com a produção e com as pessoas.
  • Estilo 1.9 – Clube Campestre: líder focado nas necessidades das pessoas. Mínima preocupação com a produção.
  • Estilo 5.5 – Gerência de meio caminho: líder preocupado com as necessidades das pessoas e com a produção dos resultados. Foco na estabilidade organizacional.
  • Estilo 9.1 – Liderança Autocrática: líder focado no gerenciamento das tarefas. Mínima preocupação com as pessoas e máxima preocupação com a produção dos resultados.
  • Estilo 9.9 – Liderança Democrática: líder focado no gerenciamento da equipe, com ênfase na produção de resultados e nas pessoas.

Teorias Situacionais de Liderança Organizacional

As teorias situacionais de liderança organizacional tem por foco a adequação do comportamento do líder diante de algumas situações: período de investimento, situações emergenciais, etc.

Teoria do Modelo Contingencial

O modelo contingencial de Fiedler defende que o desempenho das pessoas depende da combinação entre estilo de interação do líder com os subordinados e o grau de controle da situação.

Existem 3 (três) variáveis situacionais que influenciam a favorabilidade de uma situação para um líder:

  • Relações entre líder e liderado em termos de confiança e respeito
  • Estruturação da tarefa e definição das metas
  • Posição de poder e influência que um líder tem sobre seus liderados

Fiedler constatou em seus estudos que, quando a situação era muito favorável ou muito desfavorável, o estilo de liderança organizacional mais eficaz era o autoritário.

No entanto, quando a situação se caracterizava por favorabilidade mediana (boas relações entre líder e liderados mas pouca influência do líder), o estilo mais eficaz era o democrático.

Liderança Situacional de Hersey e Blanchard

Segundo a teoria situacional de Hersey e Blanchard, a liderança é ajustada de acordo com as necessidades dos liderados. O estilo de liderança a ser adotado irá depender do estágio de maturidade dos liderados.

  • Maturidade 1 (M1): Liderado não tem competência ou conhecimento e não está motivado. A equipe não tem maturidade suficiente para tomar decisões. O líder tem seu comportamento direcionado a dar ordens e comandar as tarefas que deverão ser realizadas. O líder deve DETERMINAR.
  • Maturidade 2 (M2): Liderado não tem competência ou conhecimento mas se encontra motivado. A equipe já conhece os trabalhos, mas ainda não tem maturidade suficiente para assumir as responsabilidades sozinha. O líder tem seu comportamento direcionado às tarefas sem deixar que o liderado perca a motivação. O líder deve PERSUADIR.
  • Maturidade 3 (M3): Liderado tem competência ou conhecimento mas não está motivado. A equipe já conhece os trabalhos e já querem tomar decisões sozinhas. O líder tem seu comportamento direcionado ao relacionamento, reforçando o entusiamo das pessoas. O líder deve COMPARTILHAR, a equipe deve PARTICIPAR.
  • Maturidade 4 (M4): Liderado tem competência ou conhecimento, se encontra motivado e já tem maturidade suficiente para tomar as decisões sozinho. O líder delega a responsabilidade de decisão sobre a forma de realização dos trabalhos. O líder deve DELEGAR.
Liderança organizacional líder carismática e demais

Liderança Carismática, Transformacional e Transacional

Liderança Carismática

O líder carismático possui uma visão otimista e cria vínculos que inspiram as pessoas a seguí-lo. Se preocupa com o potencial de seus seguidores e confia neles.

A liderança carismática visualiza o líder como uma ‘pessoa comum’.

Clique para Twitar

Os liderados apresentam aceitação em seguir o líder carismático, obedecendo-o espontaneamente.

Isso faz com que o liderado se envolva emocionalmente na missão de uma organização, aumentando o desempenho e acreditando na sua capacidade de contribuição.

Liderança Transformacional

Na liderança transformacional, de acordo com Burns, líderes e liderados se elevam a níveis altos de moralidade e motivação, aumentando o grau de conscientização e envolvimento na busca da auto-realização.

O líder transformacional transforma os objetivos da empresa nos objetivos do próprio indivíduo através do enriquecimento do cargo (atribuição de mais tarefas, funções e responsabilidades).

De acordo com Isabela F. Gouveia de Vasconcelos,

quote-left

A liderança transformacional é o processo segundo o qual o líder influencia na definição da realidade dos liderados e caracteriza-se pela articulação da experiência e dos significados compartilhados pelo grupo social de modo a viabilizar determinados modos de ação. O líder transformacional assume a complexidade de motivações e de interesses que caracteriza os indivíduos e procura motivos potenciais entre seus seguidores. Em um processo de liderança transformacional o líder não necessita de sua autoridade formal para conseguir a adesão de seus liderados. Os vínculos entre os dois tornam-se mais próximos daqueles tipicamente afetivos, o que faz com que o liderado siga o líder voluntariamente.

Liderança Transacional

Na liderança transacional, há a recompensa através de uma troca de esforço entre líderes e seguidores em determinada situação.

O líder orienta seus liderados em direção às metas estabelecidas e esclarece as condições para o exercício das atividades.

 De acordo com Isabela F. Gouveia de Vasconcelos,

quote-left

A liderança transacional caracteriza-se pela troca não duradoura entre o líder e o liderado. Essa liderança é marcada pelo comportamento condicionado, no qual um indivíduo aceita seguir um líder porque este tem os meios para viabilizar essa troca, seja ela por meio de remuneração, da influência política etc. No processo de liderança transacional, o seguidor aceita as ordens do líder por uma questão de poder formal. O líder geralmente consegue a submissão das pessoas às suas idéias devido a esse poder formal e à prerrogativa da recompensa ou da punição. A relação de troca entre o líder e o seguidor desaparece no momento em que aquele não pode mais recompensar ou punir os liderados.

Para aprender mais, acesse o Curso de Liderança ou visite a área de Cursos de Liderança e Empreendedorismo.

E você, qual sua opinião sobre a Liderança nas empresas? Participe, deixe um comentário abaixo!